terça-feira, Abril 25, 2006

25 de Abril

Passaram 32 anos. O 25 de Abril é uma das raras datas de felicidade que jamais esquecerei. Eram 2 da manhã. Tinha acabado de preparar o biberão do meu filho, na altura um bebé com dois meses e meio. Quando cheguei junto dele, os seus olhos transmitiram aquele sorriso irresistível que só os bebés sabem fazer, ouço os primeiros acordes de Grândola Vila Morena de Zeca Afonso. De repente na minha cabeça surge o amanhã pelo sorriso daquela criança, pela inusitada melodia que a rádio divulgava. Estava informado e suspeitava do que iria acontecer. Olhei o meu filho e disse-lhe: o amanhã também será nosso. E para mim, 32 anos depois, o 25 de Abril continua a ser aquele momento: um sorriso, uma canção fora de lei, a prometerem o amanhã.

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

E será que o amanhã já foi nosso?
a dúvida daquele que há 386 meses atrás partilhou também aquele momento.

terça-feira, 25 Abril, 2006  

Enviar um comentário

<< Home

/body>